Disc'Over Lisboa disputam EUCF na Polónia e fazem história no ultimate nacional

dol1

Pela primeira vez na história do ultimate nacional, Portugal tem uma equipa na fase final do campeonato europeu de clubes de ultimate: entre 5 e 7 de outubro, em Breslávia, na Polónia, os Disc'Over Lisboa vão disputar o European Ultimate Championships Finals.

Também Vira'o'Disco garantiu a qualificação, mas a equipa de Palmela não conseguiu estar presente na fase final na Polónia.

A poucos dias da partida, um dos jogadores da equipa de Lisboa, João Duarte, antecipou para a APUDD as expectativas dos Disc'Over.

O que significa representar Portugal no Europeu de clubes?
É um enorme orgulho participar no European Ultimate Championship Finals e, ao mesmo tempo, um enorme desafio jogar contra as melhores equipas europeias. 

São a primeira equipa portuguesa em prova, isso também tem significado especial?
Tem um significado muito especial. Em 2017 ficámos em último lugar no campeonato de qualificação EUCR-S X (European Ultimate Championship Regionals South miXed). Não baixámos os braços. Aprendemos, ganhámos experiência, treinámos muito e nunca deixámos de acreditar. Vencer o EUCR-S X no Jamor e qualificar para o EUCF foi o culminar desse trabalho. 
O que implica esta participação? Muitos sacrifícios?
Foi complicado conseguir juntar um roster. Alguns elementos importantes mostraram-se logo indisponíveis. Tivemos de preparar uma viagem para a Polónia no espaço de um mês, com tudo que implica em termos de disponibilidade de tempo e gestão financeira. 
Quem vão ser os jogadores adicionais que vos vão representar?
No nosso roster em relação ao EUCR-S X convidámos três jogadores: Ricardo Patrão (VoD), Inês Brigel (UFA) e Marta Uryniak (jogadora polaca, que já competiu em Portugal). De referir as ausências do João Lopes, Maria Goreti e Álvaro Ponte, que está lesionado, entre outros. 
Com que objetivos partem? 
Sempre que participamos num torneio pela primeira vez o focamos na aprendizagem, ganhar experiência, sem metas definidas. O nosso objetivo passa por mostrar uma boa imagem do ultimate português, dar o nosso melhor em campo, encarando cada jogo como se fosse uma final. Temos ambição mantendo a humildade e garra que nos trouxe até aqui.
Já conhecem os adversários?

Temos noção do alto nível competitivo das outras equipas, habituadas a competir regularmente ao mais alto nível. O clima também vai ser frio o que não vai ajudar na adaptação. 

As equipas já foram apresentadas e os grupos já estão definidos. De notar um forte contingente alemão nas três divisões. 
Esta vai ser uma participação histórica para os DOL?
Sem dúvida. Esperemos que a primeira de muitas. Vamos tentar fazer o streaming dos jogos, fiquem atentos na nossa página de Facebook

(Fotografia: Ricardo Janeiro)